Encontrar empresa por:

Ícone TítuloColunas

Compartilhe:

Amar e trabalhar

15/05/2018

Quando meu segundo filho nasceu (o primeiro foi uma linda menina), eu aprendi uma lição importante e poderosa sobre o amor - que ele não é um recurso finito. Eu sempre me perguntava: "Será que eu poderia amar outro bebê como meu primeiro?". E eu posso dizer de forma inequívoca: eu amo o segundo tanto quanto o primeiro.

Essa percepção também me ensinou algo importante sobre o sucesso. Muitas vezes achamos que uma nova onda de sucessos, significa menos para nós.
 
 

Às vezes, no local de trabalho você encontra pessoas que pensam que, se seu colega é promovido antes delas, elas estão perdidas. Ou eles pensam que o colega não deveria ter sido promovido, porque eles são melhores. A verdade, pensam, é de que não há sucesso suficiente para todos. Entretanto, crescimento profissional e sucesso não é um jogo que o resultado é zero.

Tal como acontece com o amor, não existe um limite para a quantidade de sucesso em todo o mundo. Alguém de progresso contínuo não limita nossa capacidade de prosperar também. Se nos concentrarmos em nós mesmos e formos eficientes no nosso trabalho, todos nós podemos encontrar o sucesso que merecemos.
 
Sempre e em qualquer situação, no nosso trabalho, o diálogo torna-se uma corrida para conseguirmos todos os nossos pontos para mostrar quem somos, antes que alguém o faça. Usar os outros como trampolim para garantir que nossa voz fale mais alto deve ser uma das nossas últimas opções, depois de esgotarmos nosso estoque de amor. 
 
Podemos amar tudo, podemos amar sempre, mas com parcimônia e como falamos de trabalho, o amor vem acompanhado de perspicácia, dedicação, honestidade e determinação.
Trabalhar é bom, amar é ótimo. Um mix das duas coisas, tornam nossa vida mais suave e mais fácil para atingir o sucesso.

Aviso: A opinião apresentada neste artigo é de responsabilidade de seu autor e não da ABES – Associação Brasileira das Empresas de Software.